Natureza do equilíbrio

É impossível não comentar a reação da natureza nestes meses de janeiro e fevereiro. Hoje é o segundo dia sem chuva em São Paulo, após 48 dias ininterruptos de pancadas torrenciais todas as tardes, noites ou manhãs. Será que a natureza está querendo dizer alguma coisa? Tenho cá pra mim que sim. Para começar ela quer dizer que a primeira frase deste post contém um erro clássico: colocar a natureza lá, e nós aqui. Afinal somos nós de alguma natureza diferente? Não. Quando a gente sente calor, transpira. Será que a terra não está transpirando também? Com toda essa água, ela deve estar sentindo muito calor. Observar a natureza (incluindo a nós mesmos) é uma forma sábia de encontrar o equilíbrio. Os mestres Taoístas já sabiam disso quando desenvolveram a medicina chinesa, incluindo o Feng Shui. Madeira, fogo, terra, metal e água são os cinco elementos que de acordo com essa arte milenar devem estar em harmonia para que tudo funcione bem. Na nossa casa, os materiais, acabamentos que escolhemos para a decoração, as cores, as plantas, todos os objetos que utilizamos ao nosso redor dão indícios de como estamos equilibrados por dentro também. E como a natureza nos ensina, tudo o que está em excesso não é saudável. Nos próximos posts vou escrever sobre cada um desses elementos e o que podem causar quando estão em desequilíbrio. Até lá.