Sintra

Especial Seminário Internacional de Feng Shui: a escolha faz o caminho

Esse foi o dia de subir a montanha do autoconhecimento e, nessa viagem, fomos pelos jardins da Quinta da Regaleira, um dos lugares mais deslumbrantes e misteriosos de Sintra.

Dia 8 - Kên, Autoconhecimento

Feng Shui Vera Sousa.jpg

No meu caso, essa viagem começou ainda no Brasil, quando o Solano me convidou a colaborar com a leitura dos jardins da Regaleira, pelo Feng Shui Contemporâneo. Esse foi o método que mais estudei e apliquei em minhas consultas, além de ter sido aluna direta do Prof. Lin Yun, fundador dessa Escola. Mas fazer essa leitura, junto com o mestre Carlos Solano foi um desafio e uma honra.

A torre da Regaleira, a "montanha" mais alta, envolta pelo jardim.

A torre da Regaleira, a "montanha" mais alta, envolta pelo jardim.

O dia estava nublado, mas a temperatura amena foi ideal para percorrer o jardim externo.

O dia estava nublado, mas a temperatura amena foi ideal para percorrer o jardim externo.

A ideia não é descrever todo o estudo que fizemos, mas chamar atenção para alguns pontos que justificam a escolha desse lugar para experienciar essa área de estudo do Ba Guá. O trigrama relacionado ao Autoconhecimento, representado pelo símbolo da Montanha e do elemento Terra. 

Ao caminhar pelos jardins da Quinta, o visitante faz uma "viagem" que é associada a uma demanda espiritual. Repleta de magia, natureza e simbolismos, a visita à Quinta é um mergulho em si mesmo.

Feng Shui Vera Sousa.jpg

Em vários dos monumentos e construções encontramos serpentes esculpidas ou pintadas. Elas representam a sabedoria. No caso da Regaleira, a serpente aparece na forma de caminhos sinuosos, ao longo dos jardins, e convidam a pensar sobre a união e equilíbrio entre corpo e alma, criando espaço para meditações e reflexões. 

O caminho da serpente não é visto de fora. Está envolto pela mata. Não se sabe onde esta a cabeça ou o rabo da serpente. Onde é o fim ou o começo.

O caminho da serpente não é visto de fora. Está envolto pela mata. Não se sabe onde esta a cabeça ou o rabo da serpente. Onde é o fim ou o começo.

Existe um caminho cifrado esperando para ser revelado. As chaves são várias e cada escolha levará a uma realização diferente.  Pode ser pelo amor, pela natureza, pela sorte. No Patamar dos deuses, cada um oferecia a oportunidade para escolher uma delas.

Vênus oferece a chave do amor

Vênus oferece a chave do amor

A deusa Fortuna lança a sorte.

A deusa Fortuna lança a sorte.

Quando Luigi Manini, arquiteto e cenógrafo, projetou a Quinta, a pedido de Carvalho Monteiro, (brasileiro, herdeiro e idealizador da Regaleira)  inspirou-se nos jardins iniciáticos que têm formas, simbolismos e objetos que provocam e promovem transformações e ritos de passagem.

Pelos jardins da Regaleira  fizemos um caminho metafórico em direção a nossa interioridade. O ponto alto foi a descida ao Poço Iniciático. Projetado 27 metros para dentro da terra, conta com 9 andares que correspondem às iniciações, segundo a Divina Comedia de Dante.

Feng Shui Vera Sousa.jpg

Percorremos o jardim passando por todas as áreas da Roda da Vida, sentindo a energia de cada etapa, através dos símbolos, formas, vegetação, elementos e sentimentos. No final, conduzi o ritual do Reforço dos Três Segredos, traduzindo para sentimentos, as intenções do grupo para cada área da vida.

IMG_2516.jpg

E na Regaleira tudo fez sentido. A Roda simbólica girou e me trouxe aqui de volta. Para realizar o sonho de juntar Portugal e Feng Shui, com um dos Mestres que mais admiro. Quem sabe essa roda não me traz de volta e de vez. Sonha que dá!

Bj Bj e até amanhã com o ultimo capitulo.

Carlos Solano, eu e João Fiandeiro, nosso guia historiador.

Carlos Solano, eu e João Fiandeiro, nosso guia historiador.

Segue o link para os outros capítulos desse diário de bordo, feito com muito carinho:

Especial Seminario internacional de Feng Shui - Vamos começar pelo começo

DIA 1 - Kan, Destino/Missão de Vida - A Bela Sintra

DIA 2 - Kun, Relacionamentos - O que a natureza ensina

DIA 3 - Chên, Ancestralidade/Família - A vila das Rainhas, Óbidos

DIA 4 - Sun, Expansão - Pé de vento

DIA 5 - Centro - Sentimento é a chave

Dia 6 - Ch’ien, Amigos/Ajuda do Céu - O Criativo

DIA 7 - Tui, Criatividade/Futuro - O futuro encontra o passado

DIA 8 - Kên, Autoconhecimento - A escolha faz o caminho

DIA 9 - Li,  Realização - O poder da realização

Especial Seminário Internacional de Feng Shui: a bela Sintra

Sintra, centro

Sintra, centro

Um dos cenários preferidos de Eça de Queirós, grande romancista português que viveu no século XIX, Sintra é a sede do 15o Seminário Internacional de Feng Shui.

Pela comunhão entre a natureza e as construções realizadas por mãos humanas, e muitas vezes artísticas, Sintra foi nomeada Patrimônio Mundial, na categoria de Paisagem Cultural, atribuída pela UNESCO.  Não foi à toa que o arquiteto Carlos Solano a escolheu para sediar seu primeiro Seminário Internacional, fora do Brasil.

Cada uma das 35 pessoas presentes levará consigo (em português erudito!) diferentes fragmentos dessa viagem. Sem a intenção de descrever todas as atividades do evento, vou compartilhar as experiências marcantes, sob o meu ponto de vista. Para quem se interessa por beleza, natureza, arte, auto-conhecimento, arquitetura, Portugal e Feng Shui, tudo junto e misturado, pode me acompanhar nos próximos dias. Cada dia dedicado a um aspecto da Roda da Vida, iconografada no Ba Guá. Espécie de mapa, utilizado no Feng Shui, que auxilia a leitura simbólica de um espaço fisico.

DIA 1 - Kan, Destino/Missão de Vida

Palácio Monserrate, concluido em 1856, Sintra

Palácio Monserrate, concluido em 1856, Sintra

Esse magnifico corredor, conecta as três torres do Palácio e liga o hall principal à sala de música, ao fundo.  O fluxo do Chi é conduzido pelos diversos arcos que elevam o olhar do visitante e distraem com sua beleza rendada, em tema floral.

Esse magnifico corredor, conecta as três torres do Palácio e liga o hall principal à sala de música, ao fundo.  O fluxo do Chi é conduzido pelos diversos arcos que elevam o olhar do visitante e distraem com sua beleza rendada, em tema floral.

Detalhe da renda no teto....

Detalhe da renda no teto....

....e nas paredes, conferem um ar delicado e feminino ao Palácio, mesmo com dimensões monumentais.

....e nas paredes, conferem um ar delicado e feminino ao Palácio, mesmo com dimensões monumentais.

Eis que surge um imenso Ba Guá no Domo central. Um octógono, com vitrais na cor rosa, dá pistas da vocação desse Palácio, em homenagear a energia feminina.

Eis que surge um imenso Ba Guá no Domo central. Um octógono, com vitrais na cor rosa, dá pistas da vocação desse Palácio, em homenagear a energia feminina.

A natureza cuidadosamente integrada ao ecossistema local, cria o cenário perfeito para a implantação do Palácio, da era Romantica.

A natureza cuidadosamente integrada ao ecossistema local, cria o cenário perfeito para a implantação do Palácio, da era Romantica.

O verde da Serra da Lua, presente em toda a propriedade.

O verde da Serra da Lua, presente em toda a propriedade.

Ao longo do dia, recebemos a visita de vários convidados. Mas uma moça, de sorriso fácil e voz afinadíssima, tocou meu coração. Ana Alpande, uma tecelã portuguesa.

O tear da Ana, em forma de águia.

O tear da Ana, em forma de águia.

Primeiro, porque ela veio da Serra da Estrela, terra em que meu pai nasceu. Segundo, porque diz que adora fiar com a lã das ovelhas de lá, as mesmas que meu avô e meu pai pastoreavam na aldeia da Cortegada, ao pé da Serra. E terceiro, porque ela disse uma frase que até agora está ecoando na minha cabeça: "Quando o homem não encontra palavras é preciso fazer arte."

Feng Shui é a arte de viver a vida. Que seja esse o meu caminho. Que seja essa a minha missão.

Beijos emocionados e até amanhã!

Para saber mais sobre os palácios de Sintra, acesse: www.parquesdesintra.pt

Segue o link para os outros capítulos desse diário de bordo, feito com muito carinho:

Especial Seminario internacional de Feng Shui - Vamos começar pelo começo

DIA 1 - Kan, Destino/Missão de Vida - A Bela Sintra

DIA 2 - Kun, Relacionamentos - O que a natureza ensina

DIA 3 - Chên, Ancestralidade/Família - A vila das Rainhas, Óbidos

DIA 4 - Sun, Expansão - Pé de vento

DIA 5 - Centro - Sentimento é a chave

Dia 6 - Ch’ien, Amigos/Ajuda do Céu - O Criativo

DIA 7 - Tui, Criatividade/Futuro - O futuro encontra o passado

DIA 8 - Kên, Autoconhecimento - A escolha faz o caminho

DIA 9 - Li,  Realização - O poder da realização

 

Especial Seminário Internacional de Feng Shui: vamos começar pelo começo

A primeira vez que participei de um Seminário internacional de Feng Shui, foi em 2009. Recém saída de um longo período dedicado à publicidade (exatos 23 anos!), sentia que era hora de dar novo significado à minha existência. O Feng Shui já era uma área de interesse que chamava minha atenção, desde o princípio dos anos 2000. Mas foi em 2007, que resolvi estudar profissionalmente o tema. Encontrei minha primeira mestra nessa jornada: a Silvana Occhialini. Foram muitos cursos, em finais de semana e feriados, em que ela me apresentou seus mestres e foi atrás deles que parti, na minha primeira experiência internacional.

Lembro, como se fosse hoje, de ter sido abordada por uma pessoa no avião que seguia para Calgary. Ela notou uma pulseira com os 12 animais do horóscopo chinês em meu pulso e perguntou, em inglês: você está indo para o Seminário do Prof Lin Yun?  Naquela época, J.K. Rolling estava arrebentando com a série do bruxinho Harry Potter e eu me senti a própria Hermione, a caminho de Hogwarts, no Expresso saído da Estação de King's Cross.

Nunca tinha ouvido falar em Calgary, muito menos havia colocado meus pés no Canadá. Mas foi com espírito aventureiro que encarei esse chamado e literalmente mergulhei nesse universo, que nunca mais deixaria de fazer parte da minha vida.  

Chegando ao hotel, havia mais de 300 pessoas reunidas em uma grande sala de convenções. As palestras do Professor eram em chinês, traduzidas para o inglês, por outra chinesa. Muitas das pessoas que estavam na audiência já haviam publicado livros, como o David Daniel Kennedy, ao lado de quem eu sentei. Eu era uma criança explorando um novo mundo, com olhos e ouvidos atentos.

Ao lado do Prof. Lin Yun, em Calgary, 2009

Ao lado do Prof. Lin Yun, em Calgary, 2009

Para surpresa dos participantes, e minha sorte, naquele ano, o Prof Lin Yun decidiu "go back to the basics". Todo o Seminário era focado nos conceitos primordiais da escola do Chapéu Negro, fundada por ele e inicialmente divulgada pela arquiteta americana Sarah Rossbach. Nessa viagem, ainda conheci a Denise Lin, autora de muitos livros de Feng Shui, com quem estudei Soul Coaching. E, terminei em Nova York, conhecendo a Nanci SantoPietro, que também era autora e discípula do Prof. Lin Yun.

Quase dez anos depois, nessa série de postagens, vou compartilhar minha participação no 15o Seminário Internacional de Feng Shui, promovido por outro mestre, o arquiteto Carlos Solano, e realizado em Sintra, Portugal, entre os dia 4 e 12 de junho.

Juntar Portugal e Feng Shui tem para mim o sabor da Terra. Doce como o colo da minha avó materna, portuguesa, que me embalava em seus braços, cantando a música "encosta a tua cabecinha no meu ombro e chora....". 

Muitas emoções me aguardam nessa caminhada e convido-os a embarcar comigo nessa viagem.

Até breve!

bj bj

Segue o link para os outros capítulos desse diário de bordo, feito com muito carinho:

Especial Seminario internacional de Feng Shui - Vamos começar pelo começo

DIA 1 - Kan, Destino/Missão de Vida - A Bela Sintra

DIA 2 - Kun, Relacionamentos - O que a natureza ensina

DIA 3 - Chên, Ancestralidade/Família - A vila das Rainhas, Óbidos

DIA 4 - Sun, Expansão - Pé de vento

DIA 5 - Centro - Sentimento é a chave

Dia 6 - Ch’ien, Amigos/Ajuda do Céu - O Criativo

DIA 7 - Tui, Criatividade/Futuro - O futuro encontra o passado

DIA 8 - Kên, Autoconhecimento - A escolha faz o caminho

DIA 9 - Li,  Realização - O poder da realização