consultora de feng shui

Desapega ato 2: como descartar o que é mais difícil.

Desapega ato 2: como descartar o que é mais difícil.

O exercício de desapego, quando entramos no descarte de itens com forte carga afetiva, exige musculatura emocional. Procuro sempre olhar o lado cheio do copo. Se você se identifica comigo, vai gostar da dica a seguir.

Diga-me com quem andas e a reforma terá a sua cara

Afinidade, identidade, conexão, entendimento, ligação, simpatia, empatia. Palavrinhas mágicas quando o assunto é empreender uma obra, reforma ou projeto. Sem elas, as chances de frustração podem aumentar substancialmente. Portanto, escolher o time que vai te acompanhar nessa jornada é essencial.

Quando comecei a planejar a reforma, imediatamente pensei na Mari Dabbur. Arquiteta talentosa e aberta a acolher a intenção de tornar minha casa, um benchmark do meu trabalho de Feng Shui. Nos conhecemos, há mais de dez anos, quando fizemos alguns cursos juntas e, desde então, nossa identificação só aumentou. Ela interpretou as diretrizes do projeto de Feng Shui, com muita sensibilidade, e o transformou em projeto arquitetônico.

Mari e eu desenhando os primeiros passos da obra

Mari e eu desenhando os primeiros passos da obra

Além de reformar, minha intenção era documentar todo o processo e transformar em conteúdo para o blog, ou um futuro livro. Então, chamei mais uma amiga: Marcia Naspitz, jornalista, com muita experiência em revistas de arquitetura, ela poderia ajudar na edição do conteúdo, tornando-o acessível a um público mais abrangente.

Marcia, Mari e eu

Marcia, Mari e eu

Além disso, a Marcia me recebeu em sua casa, carinhosamente, como hóspede, durante os dois meses que a obra durou!
 

   Um cartão de boas vindas com um chocolatinho.  Mimada pela amiga, na chegada ao quarto de hóspedes.

 

Um cartão de boas vindas com um chocolatinho. 
Mimada pela amiga, na chegada ao quarto de hóspedes.

Referências de casa: juntinho comigo foram o Buda, meu altar portátil e o livro de I Ching.

Referências de casa: juntinho comigo foram o Buda, meu altar portátil e o livro de I Ching.

Faltava mais uma integrante para esse time: Ana Paula Cinato, arquiteta responsável pela execução da obra, enquanto a Mari cuidava de ter seu bebê. Sim, a Mari estava grávida da Sophia que nos acompanhou em todas as reuniões, dentro da barriga da mamãe. Com o desafio de adaptar o projeto à verba e prazo, a Ana brilhou! Além de orquestrar o time do empreiteiro e comprar materiais, sempre que aparecia um imprevisto (todas as obras têm...) foi ponderada, tranquila, porém firme para garantir a qualidade.
 

Mari, eu, Ana e a pequena Sophia

Mari, eu, Ana e a pequena Sophia

E para o registro fotográfico da obra: Sidney Salú, marido e fotógrafo!
 

Eu, Sidney, Ana, Mari e Sophia

Eu, Sidney, Ana, Mari e Sophia

Mudar ou reformar: como o Feng Shui pode ajudar nesse desempate

Quem não quer mais vitalidade, harmonia, sucesso, saúde e felicidade? Nesta busca, às vezes, achamos que só trocando de endereço isso será possível. Mas, nem sempre, esta é a resposta para tudo.
Nesse capítulo, vou compartilhar 7 aspectos que você deve considerar em sua pesquisa por um novo imóvel. Consciente dos prós e contras, coloque tudo numa balança e avalie se vale a pena mudar ou reformar.

1. Localização: segundo o Feng Shui Tradicional Chinês, 70% da influência que o meio exerce sobre o indivíduo vem do ambiente externo e apenas 30% do interno. Ou seja, é fundamental avaliar o tipo de vizinhança que você quer ter por perto. Não basta encontrar uma linda casa em um bairro decadente ou degradado. Claro que existem exemplos de que é possível reverter a energia de um local, nestas condições. O High Line Park, em Nova York, é um exemplo disso. Entretanto, requer tempo, um esforço hercúleo da população e a colaboração do poder público.
 

 

2. Chi: certamente você já ouviu falar nesta palavra que significa "energia vital". Avaliar a qualidade da vida de um local é também fundamental para garantir seu bem-estar.  Repare se as árvores são saudáveis ou se têm troncos retorcidos e folhas secas. Se há passarinhos, borboletas e flores. Animais e plantas saudáveis são indícios de bom Chi. Não subestime a sua sensibilidade. Seu corpo é o melhor sensor que você pode utilizar. Se não se sentiu bem no lugar, esqueça e procure outro que faça sua energia aumentar. Por isso, é importante visitar o lugar em vários horários do dia, para checar a presença da luz solar, o barulho diurno e noturno, em dias de semana e finais de semana, também. Evite construções próximas de igrejas, hospitais e cemitérios. Assim, evita o contágio com energias que você não quer vibrar todos os dias.

 

3.jpg
4.jpg

3. História do imóvel: procure saber se quem viveu lá foi feliz, bem sucedido ou não, se sofreu de alguma doença, etc. Nossa energia fica impregnada nos lugares que habitamos e conhecer seu histórico ajuda a prevenir e trabalhar a transmutação dessas energias.

4. Acesso: Garantir um bom fluxo de Chi em direção à sua porta de entrada, ou janelas do seu apartamento é importante. Um lugar com bom "Chi" é ensolarado, fresco, cheiroso. Por isso, equilíbrio é tudo: nem vento demais, nem de menos; nem sol demais, nem de menos. Evite casas posicionadas em frente a um grande fluxo de trânsito de automóveis, pois receberão energia em demasia. A simples mudança do sentido do tráfego muda tudo.
 

5. Bloqueio: Repare nas casas que têm árvores, postes ou bloqueios na frente da porta principal. O que a princípio pode ser uma estratégia de privacidade, acaba privando de energia a casa e a vida das pessoas que nela vivem.  Estas casas, normalmente, estão mal cuidadas ou com aspecto decadente. Já, esta casa da foto, abaixo, tem duas árvores na sua entrada, porém, ambas estão colocadas como guardiãs. Nesse caso, protegem a casa e não bloqueiam a entrada do Chi.

 

6. Terreno: a implantação do imóvel também é um aspecto importante. Se fica em um terreno plano, ou em aclive, melhor, pois o acesso é mais fácil. Por outro lado, se tiver que subir uma ladeira enorme, ou uma escadaria sem fim, a energia chegará cansada. Terrenos em declive também devem ser evitados. 

 

 


A saúde da terra também é fator importante na saúde de quem habita sua superfície. Em países da Europa como a Alemanha, por exemplo, uma análise radiestésica do terreno é obrigatória por lei antes que qualquer edificação seja levantada.  Para saber mais: O Grande Livro da Casa Saudável, Mariano Bueno http://www.saraiva.com.br/o-grande-livro-da-casa-saudavel-354423.html

7. Planta: Retangular ou quadrada são as melhores. Evite as que são muito recortadas, triangulares ou em formato de L. Isso pode significar que alguma área da sua vida demandará mais atenção, ou será sempre desafiada. Pode ser algum aspecto da carreira, finanças, filhos, família, etc.

 


 

 

Antes de encarar minha última reforma, cogitei mudar. Mas durante o processo (que levou dois anos!), acabei optando por ficar no mesmo endereço. Imaginem como é difícil para mim, procurar o terreno, a planta, a luminosidade ideais...
Mas, depois de tanto estudar, observar e trabalhar com meus clientes, concluí que não existe lugar perfeito. Ter consciência das mensagens que sua casa envia é que é fundamental. E o Feng Shui pode ajudar com algumas intervenções, como fazem as agulhas na acupuntura. Espelhos e luminárias, sinos e música, animais domésticos e plantas, objetos, cores, móbiles, fontes, flautas, são alguns dos recursos que podem ser utilizados.

Prof. Lin Yun, mestre fundador do método da Escola Americana, dizia: "existem 5 fatores chaves que influenciam a nossa vida, que em ordem decrescente de importância são: destino, sorte, Feng Shui, fazer boas ações anonimamente e educação. Feng Shui é só um dos aspectos. Todos os outros devem ser igualmente trabalhados e praticados."
 

Até a próxima!
Bj Bj

Para uma consulta personalizada, entre em contato.

Leia os outros capítulos:

Mude sua casa e mude sua vida! 

Pedra Fundamental: o propósito da mudança.

Temperamento: sua casa tem e pode mudar.

Mudar ou reformar? Como o Feng Shui pode ajudar nesse desempate.

Diga-me com quem andas e a reforma terá a sua cara.

Desapega ato 1: como descartar o que é mais fácil.

Desapega ato 2: como descartar o que é mais difícil.

Mudanças estruturais externas: planta, acessos e proporções.

Mudanças substanciais internas: sentimentos, bloqueios e resoluções.

Pedra fundamental: o propósito da mudança

Refletir sobre o propósito da mudança direciona o projeto

Refletir sobre o propósito da mudança direciona o projeto

Tenho certeza que você não quer apenas um sofá novo, com a estampa da moda, comprada naquela loja que você namora, há tempos. Nem tão pouco trocar o piso todo pelo revestimento mais prático do mercado. Seguramente, outras motivações estão por trás do desejo de mudança. 

Quando nos dispomos a mudar a casa, um movimento interno já está em curso. Identificar esse movimento e calibrar o ambiente para favorecer o que você busca é o meu trabalho, como Consultora de Feng Shui.

Muito se fala hoje de propósito, e isso vale para a sua casa também. Quando se está procurando um lugar para morar, ou planejando uma mudança, definir esse propósito é a chave para todas as dúvidas que surgirão durante o percurso. Por isso, esse farol precisa ser bem instalado para você não ficar à deriva, depois que se lançar ao mar de opções que o mercado oferece.

As pessoas mudam porque se casam, porque descasam, porque têm filhos, porque os filhos saem de casa e por aí vai. Porém, para cada situação existe uma intenção que pode ser ativada a partir das escolhas dos elementos que farão parte do projeto arquitetônico.

Alguns exemplos:

  • Um casal, cujos filhos saíram de casa, pode desejar aconchego, para garantir que o filhos sintam vontade de voltar sempre; o elemento terra, com sua qualidade receptiva, será o ponto de partida para direcionar esse projeto. 
  • Um profissional liberal, que trabalha em casa, vai precisar de um espaço em que ele tenha isolamento para realizar seus projetos; aqui o elemento metal será bem vindo, para garantir foco.
  • Uma artista, que tem um ateliê em casa; vai adorar muita madeira para vibrar criatividade e fogo para obter o reconhecimento do público.
Laranja e cinza, combinação harmônica dos elementos  Terra  e  Metal    

Laranja e cinza, combinação harmônica dos elementos Terra e Metal   

Quer saber um pouco mais sobre o que significa cada elemento? Escrevi sobre terrametaláguamadeira e fogo. Só clicar em cada um deles, para identificar que temperamento ou tempero você gostaria de dar à sua mudança!

4.JPG

Como prometi, vou usar meu exemplo para ilustrar e facilitar seu entendimento.

Quando planejei minha última reforma, defini como propósito a simplificação. Sentia falta de espaços livres, precisava de ar!  Partindo desse princípio, defini que o Metal seria o elemento em maior proporção no projeto. Foco e determinação são as qualidades que o Metal faz vibrar. Mas, sobre isso, vamos falar,  no próximo capítulo onde vou detalhar como estabelecer o temperamento de uma casa. 

Por hora, reflita no propósito da sua mudança. Se você não sabe o motivo pelo qual faz algo, está desconectado de si mesmo. Agir no automático tira o senso de realização que é a melhor parte de viver!
 

A base neutra na cor "nó de marinheiro", à direita, foi a escolhida para  garantir a proporção do elemento  Metal  desejada.

A base neutra na cor "nó de marinheiro", à direita, foi a escolhida para  garantir a proporção do elemento Metal desejada.

Os tons de cinza e pastel dos tecidos também somaram  Metal  à composição

Os tons de cinza e pastel dos tecidos também somaram Metal à composição

O próprio material  Metal  foi utilizado em itens de decoração, como luminárias e prateleiras.  O tempero com outros elementos foi adicionado após a base ter sido definida. Para isso, o propósito serviu como direcionador de todo o projeto.  Mas isso você vai ver nos próximos capítulos!

O próprio material Metal foi utilizado em itens de decoração, como luminárias e prateleiras. 
O tempero com outros elementos foi adicionado após a base ter sido definida. Para isso, o propósito serviu como direcionador de todo o projeto. Mas isso você vai ver nos próximos capítulos!

Mude sua casa e mude sua vida!

Está pensando em mudar de casa, de vida, de astral?

Casou, descasou, enjoou, está precisando de uma reviravolta na vida profissional? Ou está se sentindo sem energia, com uma sensação de falta de equilíbrio ou de harmonia?

Às vezes, o mais óbvio está bem à nossa frente e não conseguimos enxergar... Nessas horas, precisamos de alguém que pegue na nossa mão e com paciência e carinho nos ajude a retomar nosso rumo. Então, acho que posso ajudar.

Sou consultora de Feng Shui, há mais de dez anos. Fiz inúmeros cursos e especializações, no Brasil e no exterior. Tive e tenho grandes mestres. Fiz projetos na casa de amigos, clientes e empresas. 

Mas, para que tudo fique mais fácil de "enxergar", vou ser sua cobaia!

Isso mesmo, vou usar exemplos práticos, com fotos, plantas e desenhos, do que fiz e do que não fiz na minha casa. Assim, posso responder às suas questões com a dor e a alegria de quem viveu esta experiência.

 

Aí, você me pergunta: mas sua casa não estava toda "trabalhada" no Feng Shui? Sim, mas eu mudei! E quando você muda, a casa muda. Nossas casas são como espelhos, refletem nossa personalidade, nosso estado de espírito. E, por isso, muitas vezes sentimos vontade de mudar, sem saber exatamente o que ou por que.

Esse processo geralmente está escondido no nosso inconsciente.Tudo muda o tempo todo. E quando nada muda... Talvez já esteja desgastado ou simplesmente acomodado.

As técnicas de Feng Shui servem para ajudar a identificar seu momento de vida e o que pode ser melhorado. Ao aplicá-las, você amplia seu auto-conhecimento e, assim, sua casa torna-se uma fonte poderosa de regeneração e vitalidade. Seu espaço sagrado. 
 

Aqui, nesse ponto é natural se perguntar: “por que devo investir no Feng Shui? Não é só mudar as coisas de lugar ou usar outras cores e a energia parada já começa a se movimentar?"

Bom, se você está lendo esse texto, é sinal que está pronto para receber informações que vão acrescentar uma outra camada de sabedoria ao seu projeto. 

Para os mais sensíveis e intuitivos, é natural acreditar que a vida é energia e que essa energia flui e se move em correntes contínuas e se transformam constantemente, no tempo e no espaço. 

Isso inclui você, a sua casa e tudo que está ao seu redor. 

Para os mais céticos e racionais, os físicos mostram que até os átomos e as moléculas estão em permanente movimento.

Se você se enquadra em qualquer um destes dois perfis, pode acreditar que as técnicas de Feng Shui, que vou compartilhar com vocês nos próximos posts, te ajudarão a fazer a sua próxima mudança, de um jeito mais consciente e aproveitando, ao máximo, seu investimento de tempo e dinheiro. 

É quase como aprender um segredo de família, como aquela receita guardada a sete chaves pela sua avó. Estamos falando de um conhecimento ancestral, que vem sendo usado no Oriente, há muito tempo, mas que só chegou por aqui no final do século passado. 

Existem situações físicas que influenciam a saúde do lugar que habitamos e por consequência o equilíbrio da nossa energia. Desde os materiais utilizados na construção civil até a vegetação próxima, a vizinhança, a iluminação, as cores, as madeiras, os móveis. 

Outra pergunta que você pode estar se fazendo: “quando entra o Feng Shui no meu projeto?” Na verdade, desde o momento exato em que você sentiu vontade de mudar, mas ainda não reformou, vendeu ou comprou sua casa.

O Feng Shui pode ser seu grande aliado na escolha do terreno, da rua, dos materiais, da planta, da distribuição dos cômodos e tantas outras dúvidas que fazem parte da mudança. 

Ensinar a aplicar todos esses conhecimentos é minha missão, com essa série. 

O primeiro capítulo já está disponível. Dê uma espiada e me conta o que você achou!

Até já! 

Bj Bj

Para uma consulta personalizada, entre em contato.

Leia os outros capítulos:

Mude sua casa e mude sua vida! 

Pedra Fundamental: o propósito da mudança.

Temperamento: sua casa tem e pode mudar.

Mudar ou reformar? Como o Feng Shui pode ajudar nesse desempate.

Diga-me com quem andas e a reforma terá a sua cara.

Desapega ato 1: como descartar o que é mais fácil.

Desapega ato 2: como descartar o que é mais difícil.

Mudanças estruturais externas: planta, acessos e proporções.

Mudanças substanciais internas: sentimentos, bloqueios e resoluções.