beleza

Hora da colheita

Fengshuiverasousa

Nossa romanzeira de varanda nos deu duas romãs esse ano. E já que as maritacas deixaram pra nós, hora de colher.

A romã é símbolo de fertilidade e prosperidade. Antigamente era figura fácil nos jardins das casas brasileiras. Hoje, ainda encontramos algumas, sobreviventes na selva de pedra de São Paulo.

E como manda a lei da naturalidade, o Verão chega todos os anos, mas as flores, as folhas e os frutos nunca são os mesmos. Como nós. A cada ciclo mais cabelos brancos, menos tralhas, mais sabedoria. O que nunca muda são os valores e nossa essência. É isso que devemos preservar. O resto é transitório, como as estações.

Até mais!

Bj bj

#fengshui #fengshuiverasousa #verao2019 #natureza #beleza #rodadavida

Fotos @sidney.salu

Fengshuiverasousa
Fengshuiverasousa

Especial Seminário Internacional de Feng Shui: a bela Sintra

Sintra, centro

Sintra, centro

Um dos cenários preferidos de Eça de Queirós, grande romancista português que viveu no século XIX, Sintra é a sede do 15o Seminário Internacional de Feng Shui.

Pela comunhão entre a natureza e as construções realizadas por mãos humanas, e muitas vezes artísticas, Sintra foi nomeada Patrimônio Mundial, na categoria de Paisagem Cultural, atribuída pela UNESCO.  Não foi à toa que o arquiteto Carlos Solano a escolheu para sediar seu primeiro Seminário Internacional, fora do Brasil.

Cada uma das 35 pessoas presentes levará consigo (em português erudito!) diferentes fragmentos dessa viagem. Sem a intenção de descrever todas as atividades do evento, vou compartilhar as experiências marcantes, sob o meu ponto de vista. Para quem se interessa por beleza, natureza, arte, auto-conhecimento, arquitetura, Portugal e Feng Shui, tudo junto e misturado, pode me acompanhar nos próximos dias. Cada dia dedicado a um aspecto da Roda da Vida, iconografada no Ba Guá. Espécie de mapa, utilizado no Feng Shui, que auxilia a leitura simbólica de um espaço fisico.

DIA 1 - Kan, Destino/Missão de Vida

Palácio Monserrate, concluido em 1856, Sintra

Palácio Monserrate, concluido em 1856, Sintra

Esse magnifico corredor, conecta as três torres do Palácio e liga o hall principal à sala de música, ao fundo.  O fluxo do Chi é conduzido pelos diversos arcos que elevam o olhar do visitante e distraem com sua beleza rendada, em tema floral.

Esse magnifico corredor, conecta as três torres do Palácio e liga o hall principal à sala de música, ao fundo.  O fluxo do Chi é conduzido pelos diversos arcos que elevam o olhar do visitante e distraem com sua beleza rendada, em tema floral.

Detalhe da renda no teto....

Detalhe da renda no teto....

....e nas paredes, conferem um ar delicado e feminino ao Palácio, mesmo com dimensões monumentais.

....e nas paredes, conferem um ar delicado e feminino ao Palácio, mesmo com dimensões monumentais.

Eis que surge um imenso Ba Guá no Domo central. Um octógono, com vitrais na cor rosa, dá pistas da vocação desse Palácio, em homenagear a energia feminina.

Eis que surge um imenso Ba Guá no Domo central. Um octógono, com vitrais na cor rosa, dá pistas da vocação desse Palácio, em homenagear a energia feminina.

A natureza cuidadosamente integrada ao ecossistema local, cria o cenário perfeito para a implantação do Palácio, da era Romantica.

A natureza cuidadosamente integrada ao ecossistema local, cria o cenário perfeito para a implantação do Palácio, da era Romantica.

O verde da Serra da Lua, presente em toda a propriedade.

O verde da Serra da Lua, presente em toda a propriedade.

Ao longo do dia, recebemos a visita de vários convidados. Mas uma moça, de sorriso fácil e voz afinadíssima, tocou meu coração. Ana Alpande, uma tecelã portuguesa.

O tear da Ana, em forma de águia.

O tear da Ana, em forma de águia.

Primeiro, porque ela veio da Serra da Estrela, terra em que meu pai nasceu. Segundo, porque diz que adora fiar com a lã das ovelhas de lá, as mesmas que meu avô e meu pai pastoreavam na aldeia da Cortegada, ao pé da Serra. E terceiro, porque ela disse uma frase que até agora está ecoando na minha cabeça: "Quando o homem não encontra palavras é preciso fazer arte."

Feng Shui é a arte de viver a vida. Que seja esse o meu caminho. Que seja essa a minha missão.

Beijos emocionados e até amanhã!

Para saber mais sobre os palácios de Sintra, acesse: www.parquesdesintra.pt

Segue o link para os outros capítulos desse diário de bordo, feito com muito carinho:

Especial Seminario internacional de Feng Shui - Vamos começar pelo começo

DIA 1 - Kan, Destino/Missão de Vida - A Bela Sintra

DIA 2 - Kun, Relacionamentos - O que a natureza ensina

DIA 3 - Chên, Ancestralidade/Família - A vila das Rainhas, Óbidos

DIA 4 - Sun, Expansão - Pé de vento

DIA 5 - Centro - Sentimento é a chave

Dia 6 - Ch’ien, Amigos/Ajuda do Céu - O Criativo

DIA 7 - Tui, Criatividade/Futuro - O futuro encontra o passado

DIA 8 - Kên, Autoconhecimento - A escolha faz o caminho

DIA 9 - Li,  Realização - O poder da realização

 

Um mural pra chamar de seu

Feng Shui Vera Sousa.jpg

Todo ano novo, faço um mural de inspirações e intenções para o meu caminho. Fica instalado embaixo do vidro da minha mesa de trabalho. Olho para ele todos os dias. Esse exercício ajuda a não perder o foco do meu propósito. Uso como matriz o Baguá que representa a roda da vida. Se quiser experimentar, pense em pelo menos 9 aspectos: família, conquistas, reconhecimentos, amores, filhos, amigos e por fim sua saúde.

Seu mural é pessoal e intransferível! Aqui um pedacinho do meu pra te inspirar a fazer o seu 😘

Bj Bj

Mudanças substanciais internas: sentimentos, bloqueios e resoluções.

Mudanças substanciais internas: sentimentos, bloqueios e resoluções.

Ao começar a mudança do espaço físico, você vai abrindo espaço para que a mudança interna aconteça. Por isso, encontrar o caminho do equilíbrio entre nosso espaço interior e exterior é uma arte que o Feng Shui ensina.