Vera Sousa Feng Shui

Escolha de Sofia

Metropolitan Museum, NY

Metropolitan Museum, NY

Sempre que o assunto é desapego, em quase todos os casos, a conversa gira em torno daquilo que não queremos mais e que, por algum motivo, insistimos em manter. Pode ser aquela peça de roupa que não serve, a excessiva quantidade de sapatos sem uso, livros já lidos, utensílios de cozinha, brinquedos, etc.

Mas, o que dizer das coisas de que gostamos, mas precisamos abrir mão? Parece uma contradição porém, cedo ou tarde, estaremos diante de uma “escolha de Sofia*”.

Por exemplo, reconhecer que não temos mais a mesma vitalidade, força e disposição para manter as mesmas atividades físicas, iniciadas aos 20 anos. É osso! Posso dizer, pois já passei dos 50 e sinto nos ossos essa mudança. A cabeça continua a mil, mas muitas vezes o corpo não acompanha. E, tudo bem!

Outro aspecto recorrente é ter de mudar de padrão de despesas, tendo outra realidade financeira. A vida é assim, se transforma em ciclos e vai dando a oportunidade de selecionar, a cada estação, o que fica e o que vai. E, tudo bem, também!

Minha provocação é justamente sobre aquilo que escolhemos manter.

Para ajudar nesse exercício, vou resgatar o conceito das Câmaras de Artes e Curiosidades, dos séculos XVI e XVII. Seus proprietários eram nobres que reuniam objetos, de valor comercial ou emocional, coletados em expedições, por todo o mundo. Essas coleções particulares representavam o dono, seus gostos, excentricidades e ficavam expostas em suas propriedades. Mais tarde, migraram para o que conhecemos como museus. Para manter e renovar essas coleções, os museus criaram uma política de acervo: documento público, que define qual é a natureza ou curadoria do seu acervo. Quanto mais clara e específica essa política, tanto melhor o acervo.

Pois então, espelhando esse método, meu convite é para que você estabeleça sua política de acervo. Não apenas para os aspectos físicos, como também emocionais. Defina sobretudo, o tamanho desse acervo, avaliando do que você dá conta de manter, de forma sustentável. Tendo essa política bem clara, sua “escolha de Sofia” será consciente. Mesmo que seja dolorida, no começo, no longo prazo você se sentirá mais leve.

Se você concorda, discorda ou quer acrescentar outro ponto de vista, pode comentar aqui.

Até breve!

Bj Bj

*Do livro homônimo, de onde derivou a expressão idiomática: fazer uma “escolha de Sofia” significa ver-se forçado a optar entre duas alternativas igualmente insuportáveis.

**Deixo aqui algumas recomendações de livros e séries sobre o tema:

  • O documentário The Minimalists, no Netflix

  • Todos os livros e a série, no Netflix, da Marie Kondo

  • Let it Go”, livro do premiado Peter Walsh, referência no mundo da Organização

#fengshuiverasousa #fengshui #organizer #personalorganizer #mariekondo

Desapega ato 1: como descartar o que é mais fácil.

Desapega ato 1: como descartar o que é mais fácil.

Se tiver de escolher três conselhos para alguém que me pede dicas de Feng Shui, eu recomendo: faça uma boa faxina, conserte o que está quebrado e livre-se de tudo o que não usa. Para isso, existem vários métodos de arrumação. Mas tem um que recomendo de olhos fechados: o Método KonMari.

Diga-me com quem andas e a reforma terá a sua cara

Afinidade, identidade, conexão, entendimento, ligação, simpatia, empatia. Palavrinhas mágicas quando o assunto é empreender uma obra, reforma ou projeto. Sem elas, as chances de frustração podem aumentar substancialmente. Portanto, escolher o time que vai te acompanhar nessa jornada é essencial.

Quando comecei a planejar a reforma, imediatamente pensei na Mari Dabbur. Arquiteta talentosa e aberta a acolher a intenção de tornar minha casa, um benchmark do meu trabalho de Feng Shui. Nos conhecemos, há mais de dez anos, quando fizemos alguns cursos juntas e, desde então, nossa identificação só aumentou. Ela interpretou as diretrizes do projeto de Feng Shui, com muita sensibilidade, e o transformou em projeto arquitetônico.

Mari e eu desenhando os primeiros passos da obra

Mari e eu desenhando os primeiros passos da obra

Além de reformar, minha intenção era documentar todo o processo e transformar em conteúdo para o blog, ou um futuro livro. Então, chamei mais uma amiga: Marcia Naspitz, jornalista, com muita experiência em revistas de arquitetura, ela poderia ajudar na edição do conteúdo, tornando-o acessível a um público mais abrangente.

Marcia, Mari e eu

Marcia, Mari e eu

Além disso, a Marcia me recebeu em sua casa, carinhosamente, como hóspede, durante os dois meses que a obra durou!
 

   Um cartão de boas vindas com um chocolatinho.  Mimada pela amiga, na chegada ao quarto de hóspedes.

 

Um cartão de boas vindas com um chocolatinho. 
Mimada pela amiga, na chegada ao quarto de hóspedes.

Referências de casa: juntinho comigo foram o Buda, meu altar portátil e o livro de I Ching.

Referências de casa: juntinho comigo foram o Buda, meu altar portátil e o livro de I Ching.

Faltava mais uma integrante para esse time: Ana Paula Cinato, arquiteta responsável pela execução da obra, enquanto a Mari cuidava de ter seu bebê. Sim, a Mari estava grávida da Sophia que nos acompanhou em todas as reuniões, dentro da barriga da mamãe. Com o desafio de adaptar o projeto à verba e prazo, a Ana brilhou! Além de orquestrar o time do empreiteiro e comprar materiais, sempre que aparecia um imprevisto (todas as obras têm...) foi ponderada, tranquila, porém firme para garantir a qualidade.
 

Mari, eu, Ana e a pequena Sophia

Mari, eu, Ana e a pequena Sophia

E para o registro fotográfico da obra: Sidney Salú, marido e fotógrafo!
 

Eu, Sidney, Ana, Mari e Sophia

Eu, Sidney, Ana, Mari e Sophia

Mudar ou reformar: como o Feng Shui pode ajudar nesse desempate

Quem não quer mais vitalidade, harmonia, sucesso, saúde e felicidade? Nesta busca, às vezes, achamos que só trocando de endereço isso será possível. Mas, nem sempre, esta é a resposta para tudo.
Nesse capítulo, vou compartilhar 7 aspectos que você deve considerar em sua pesquisa por um novo imóvel. Consciente dos prós e contras, coloque tudo numa balança e avalie se vale a pena mudar ou reformar.

1. Localização: segundo o Feng Shui Tradicional Chinês, 70% da influência que o meio exerce sobre o indivíduo vem do ambiente externo e apenas 30% do interno. Ou seja, é fundamental avaliar o tipo de vizinhança que você quer ter por perto. Não basta encontrar uma linda casa em um bairro decadente ou degradado. Claro que existem exemplos de que é possível reverter a energia de um local, nestas condições. O High Line Park, em Nova York, é um exemplo disso. Entretanto, requer tempo, um esforço hercúleo da população e a colaboração do poder público.
 

 

2. Chi: certamente você já ouviu falar nesta palavra que significa "energia vital". Avaliar a qualidade da vida de um local é também fundamental para garantir seu bem-estar.  Repare se as árvores são saudáveis ou se têm troncos retorcidos e folhas secas. Se há passarinhos, borboletas e flores. Animais e plantas saudáveis são indícios de bom Chi. Não subestime a sua sensibilidade. Seu corpo é o melhor sensor que você pode utilizar. Se não se sentiu bem no lugar, esqueça e procure outro que faça sua energia aumentar. Por isso, é importante visitar o lugar em vários horários do dia, para checar a presença da luz solar, o barulho diurno e noturno, em dias de semana e finais de semana, também. Evite construções próximas de igrejas, hospitais e cemitérios. Assim, evita o contágio com energias que você não quer vibrar todos os dias.

 

3.jpg
4.jpg

3. História do imóvel: procure saber se quem viveu lá foi feliz, bem sucedido ou não, se sofreu de alguma doença, etc. Nossa energia fica impregnada nos lugares que habitamos e conhecer seu histórico ajuda a prevenir e trabalhar a transmutação dessas energias.

4. Acesso: Garantir um bom fluxo de Chi em direção à sua porta de entrada, ou janelas do seu apartamento é importante. Um lugar com bom "Chi" é ensolarado, fresco, cheiroso. Por isso, equilíbrio é tudo: nem vento demais, nem de menos; nem sol demais, nem de menos. Evite casas posicionadas em frente a um grande fluxo de trânsito de automóveis, pois receberão energia em demasia. A simples mudança do sentido do tráfego muda tudo.
 

5. Bloqueio: Repare nas casas que têm árvores, postes ou bloqueios na frente da porta principal. O que a princípio pode ser uma estratégia de privacidade, acaba privando de energia a casa e a vida das pessoas que nela vivem.  Estas casas, normalmente, estão mal cuidadas ou com aspecto decadente. Já, esta casa da foto, abaixo, tem duas árvores na sua entrada, porém, ambas estão colocadas como guardiãs. Nesse caso, protegem a casa e não bloqueiam a entrada do Chi.

 

6. Terreno: a implantação do imóvel também é um aspecto importante. Se fica em um terreno plano, ou em aclive, melhor, pois o acesso é mais fácil. Por outro lado, se tiver que subir uma ladeira enorme, ou uma escadaria sem fim, a energia chegará cansada. Terrenos em declive também devem ser evitados. 

 

 


A saúde da terra também é fator importante na saúde de quem habita sua superfície. Em países da Europa como a Alemanha, por exemplo, uma análise radiestésica do terreno é obrigatória por lei antes que qualquer edificação seja levantada.  Para saber mais: O Grande Livro da Casa Saudável, Mariano Bueno http://www.saraiva.com.br/o-grande-livro-da-casa-saudavel-354423.html

7. Planta: Retangular ou quadrada são as melhores. Evite as que são muito recortadas, triangulares ou em formato de L. Isso pode significar que alguma área da sua vida demandará mais atenção, ou será sempre desafiada. Pode ser algum aspecto da carreira, finanças, filhos, família, etc.

 


 

 

Antes de encarar minha última reforma, cogitei mudar. Mas durante o processo (que levou dois anos!), acabei optando por ficar no mesmo endereço. Imaginem como é difícil para mim, procurar o terreno, a planta, a luminosidade ideais...
Mas, depois de tanto estudar, observar e trabalhar com meus clientes, concluí que não existe lugar perfeito. Ter consciência das mensagens que sua casa envia é que é fundamental. E o Feng Shui pode ajudar com algumas intervenções, como fazem as agulhas na acupuntura. Espelhos e luminárias, sinos e música, animais domésticos e plantas, objetos, cores, móbiles, fontes, flautas, são alguns dos recursos que podem ser utilizados.

Prof. Lin Yun, mestre fundador do método da Escola Americana, dizia: "existem 5 fatores chaves que influenciam a nossa vida, que em ordem decrescente de importância são: destino, sorte, Feng Shui, fazer boas ações anonimamente e educação. Feng Shui é só um dos aspectos. Todos os outros devem ser igualmente trabalhados e praticados."
 

Até a próxima!
Bj Bj

Para uma consulta personalizada, entre em contato.

Leia os outros capítulos:

Mude sua casa e mude sua vida! 

Pedra Fundamental: o propósito da mudança.

Temperamento: sua casa tem e pode mudar.

Mudar ou reformar? Como o Feng Shui pode ajudar nesse desempate.

Diga-me com quem andas e a reforma terá a sua cara.

Desapega ato 1: como descartar o que é mais fácil.

Desapega ato 2: como descartar o que é mais difícil.

Mudanças estruturais externas: planta, acessos e proporções.

Mudanças substanciais internas: sentimentos, bloqueios e resoluções.

Temperamento: sua casa também tem e pode mudar

Feng Shui Vera Sousa - Arte Interior - aplicando elementos do Feng Shui na prática

Um dos princípios básicos do Feng Shui é a busca pelo equilíbrio de cinco elementos ou energias nomeadas: Madeira, Fogo, Terra, Metal e Água. Essas cinco forças da natureza podem ser reproduzidas em ambientes e são responsáveis por determinar o temperamento do projeto arquitetônico.  

  • Quer criatividade, movimento, então o elemento Madeira deve ser sua escolha.

  • Se quiser reconhecimento, sucesso, exuberância, traga a energia do Fogo.

  • Um ambiente mais estável, acolhedor pede Terra.

  • Simplicidade, espaço, foco, Metal é a energia necessária.

  • Recolhimento, introspecção, a Água trará essa qualidade.

Porém, como numa receita culinária, o tempero é o segredo. E para ser saudável, o equilíbrio é fundamental. Então, anote as dicas abaixo e vamos temperar a vida, usando os 5 elementos em diferentes proporções!

Para isso, existe uma ordem natural de entrada de cada ingrediente. Como a vida, que acontece em ciclos, também essas energias se alternam. No Feng Shui chamamos esse movimento de Ciclo de Criação ou Geração
Madeira é combustível para o Fogo, que produz Terra (ou cinzas), que contém Metal (metais diversos são encontrados na terra), que conduz a Água (as nascentes são rochosas), que nutre a Madeira (as plantas).

Vou usar meu exemplo para ajudar o entendimento da teoria: lembra que o ponto de partida é o propósito?  Se não lembra, releia o capítulo Pedra fundamental: o propósito da mudança. Pois bem, lá defini que o Metal seria o elemento prioritário. Assim sendo, a proporção do meu projeto foi:

50% Metal | 25% Água | 12,5% Madeira | 6,25% Fogo | 6,25% Terra

Feng Shui Vera Sousa - Arte Interior - aplicando elementos do Feng Shui na prática

Por que esses percentuais? Essa é a proporção áurea, aquela que a Natureza sabiamente repete em tudo o que cria. (Quer saber mais sobre isso, siga o link.)

Por hora, memorize apenas essas proporções e não tem erro. O projeto ficará harmonioso. Repare que parto do Metal e os outros elementos são adicionados conforme a ordem do Ciclo de Criação. Os dois últimos elementos são as pitadas finais que garantem o equilíbrio. Sem eles, tudo pode ficar monótono. Você pode reservar para essas pitadas, as almofadas, um pufe, quadros, vasos, arranjos florais, os detalhes menores da decoração. As maiores proporções ficam para paredes, sofás, tapetes. Confira nas fotos abaixo:

Paredes em tom pastel, cortinas cinza e luminárias em metal branco, fazem a proporção do Metal. O azul do sofá, mais a mesa de vidro, com objetos em preto, trazem a Água. A Madeira está presente nas cadeiras e no arranjo cheio de plantinhas verdes. Fogo e Terra estão nas cores vermelho e laranja das fotografias e na forma quadriculada como foram dispostos os quadros.

Paredes em tom pastel, cortinas cinza e luminárias em metal branco, fazem a proporção do Metal. O azul do sofá, mais a mesa de vidro, com objetos em preto, trazem a Água. A Madeira está presente nas cadeiras e no arranjo cheio de plantinhas verdes. Fogo e Terra estão nas cores vermelho e laranja das fotografias e na forma quadriculada como foram dispostos os quadros.

O Metal domina o ambiente pela cor branca, mas é equilibrado pela Água representada no espelho do aparador, nos vidros e na fotografia do Rio Douro, na parede.  A Madeira da mesa e cadeiras completam a proporção desse elemento.A mesa ganhou um pé de metal branco para reduzir a quantidade de Madeira. Toques de Fogo e Terra estão na cafeteira laranja e no jogo americano para o dia-a-dia, em vermelho.

O Metal domina o ambiente pela cor branca, mas é equilibrado pela Água representada no espelho do aparador, nos vidros e na fotografia do Rio Douro, na parede.
A Madeira da mesa e cadeiras completam a proporção desse elemento.A mesa ganhou um pé de metal branco para reduzir a quantidade de Madeira. Toques de Fogo e Terra estão na cafeteira laranja e no jogo americano para o dia-a-dia, em vermelho.

A sala de TV segue a mesma composição de elementos e o pufe laranja  ajuda a trazer as pitadas de Terra para o ambiente.

A sala de TV segue a mesma composição de elementos e o pufe laranja
ajuda a trazer as pitadas de Terra para o ambiente.

Para ficar ainda mais claro, vou mostrar como era antes a sala.  As proporções seguiam uma combinação de elementos completamente diferente:

50% Madeira | 25% Fogo | 12,5% Terra | 6,25% Metal | 6,25% Água

Repare como você pode mudar o temperamento de um ambiente trocando cores, texturas, tecidos, materiais e objetos de decoração. 

Madeira e Fogo dominavam o ambiente, na mesa de jantar e nas listras do sofá.

Madeira e Fogo dominavam o ambiente, na mesa de jantar e nas listras do sofá.

Fogo explícito em uma das paredes da sala de jantar, conferia a maior proporção desse elemento ao ambiente. A Madeira da grande mesa, que ocupava quase todo o espaço, deixava pouco para circulação. O Metal estava presente na cristaleira e nas canaletas repletas de quadros. Água, presente no espelho dentro da cristaleira, fechava a composição.

Fogo explícito em uma das paredes da sala de jantar, conferia a maior proporção desse elemento ao ambiente. A Madeira da grande mesa, que ocupava quase todo o espaço, deixava pouco para circulação. O Metal estava presente na cristaleira e nas canaletas repletas de quadros. Água, presente no espelho dentro da cristaleira, fechava a composição.

O excesso de objetos e plantas também aumentava a proporção da Madeira.  As paredes em amarelo traziam a Terra e a Água estava presente nos espelhos e vidro da mesa de centro.

O excesso de objetos e plantas também aumentava a proporção da Madeira.
As paredes em amarelo traziam a Terra e a Água estava presente nos espelhos e vidro da mesa de centro.

Abaixo incluo uma lista de materiais, cores de acordo com cada elemento. Você pode dar uma espiada para se inspirar e usar a criatividade.

  • Madeira: verde, azul claro, folhagens, listras verticais, forma retangular

  • Fogo: vermelho, couro, lã, seda, forma triangular

  • Terra: amarelo, laranja, ocre, marrom, floral, cerâmica, forma quadrada, quadriculada

  • Metal: branco, cinza, tons pastel, metais em geral (aço, ferro, prata), pedras, forma circular

  • Água: azul escuro, preto, vidro, espelhos, aquários, fontes, forma fluida


Se você quiser mais vibração para os ambientes vai ter que lançar mão de outra combinação de elementos. Chamamos de Ciclo de Controle. Mas desse vou falar em outro momento.
 

Ciclo de Criação, um elemento gera o outro em uma sequência natural e harmoniosa

Ciclo de Criação, um elemento gera o outro em uma sequência natural e harmoniosa

Sempre que colocar em prática essa receita, lembre que está emprestando da Natureza suas qualidades:

  • da Primavera, onde a Madeira domina por representar crescimento, expansão

  • do Verão, quando domina o Fogo, a radiação, o calor do sol

  • do Outono, quando domina o Metal, o resfriamento, a contração da força natural

  • do Inverno, onde a escuridão e o recolhimento são representados pela Água

  • do planeta Terra, que concentra todos os movimentos acima


Esta série não tem a pretensão de esgotar, em um texto, todas as técnicas de Feng Shui. Porém, a proposta é oferecer ferramentas práticas que você pode utilizar sozinho. Experimentei e posso afirmar que, com esse mínimo de informação, seu projeto ganhará muito ao trazer consciência para o que está sendo desenhado. Se tiver interesse em aprofundar o conhecimento e o uso de mais técnicas, é só procurar um consultor de Feng Shui da sua confiança. 

13.JPG

Essas regras podem ser aplicadas para a casa toda, por ambiente ou por utilidade do cômodo. 
Espero que essas informações sejam úteis para seu próximo projeto, como foi para o meu. Mas antes de ir embora deixo mais três regrinhas de ouro:

  1. você precisa ter um ponto de partida, o propósito, lembra? Esse é pessoal e intransferível! A partir dele, você determinará o elemento predominante do projeto.

  2. trabalhe com contrates para evitar a monotonia. Yin Yang são energias opostas que, combinadas, promovem o equilíbrio.

  3. não se deixe levar por modismos. Escolha o que te faz feliz, tenha significado e represente a sua personalidade.

Até a próxima!
Bj Bj

Para uma consulta personalizada, entre em contato.

Leia os outros capítulos:

Mude sua casa e mude sua vida! 

Pedra Fundamental: o propósito da mudança.

Temperamento: sua casa tem e pode mudar.

Mudar ou reformar? Como o Feng Shui pode ajudar nesse desempate.

Diga-me com quem andas e a reforma terá a sua cara.

Desapega ato 1: como descartar o que é mais fácil.

Desapega ato 2: como descartar o que é mais difícil.

Mudanças estruturais externas: planta, acessos e proporções.

Mudanças substanciais internas: sentimentos, bloqueios e resoluções.