Bora "destralhar"

IMG_3593.JPG

Sim, o jeito é “destralhar". De nada adianta começar um novo ciclo, se a energia parada do ciclo anterior insiste em te amarrar. Se foi bom, carregue o que ainda será útil. Se foi ruim, livre-se de tudo o que remeta a essa fase difícil. A vida é assim, feita de ciclos, altos e baixos.

Agora, que estamos entrando na Primavera, tire proveito da energia natural que corre pelo ar. A Primavera marca o retorno da energia Yang. Se o Inverno é propício para as atividades caseiras, sem muito gasto de energia, a Primavera nos impele a sair de casa. 

Diz no Tao Te Ching, de Lao Tse:  O movimento do Tao é o Retorno.

Diz no Tao Te Ching, de Lao Tse: O movimento do Tao é o Retorno.

A Terra começa a aquecer novamente. As manhãs ainda são frias, mas a diferença de temperatura, ao longo dos dias, começa a diminuir. 

Vem muita trovoada e chuva. Essa é a época de despertar as sementes que foram plantadas. E, é preciso cuidar para que elas, ainda fraquinhas e pequenas, tenham o sustento necessário para vingar. Então, nada de perder energia com o que não interessa.

A desordem ou o acúmulo são distrações para aquilo que precisa ser encarado de frente. Muitas vezes, servem de procrastinação para as resoluções que precisamos tomar. Tirá-los da frente nos obriga à ação. 

Agora, vamos ao gabarito da arrumação: só fica o que te faz feliz! Repito aqui a fórmula que aprendi com a sábia Marie Kondo e que, para mim, funcionou. Aproveite essa semana, dê uma repassada nos itens abaixo e veja se tem alguma coisa sobrando nas categorias:

  1. Roupas, sapatos, bolsas: rodou duas estações e você não usou? Faça circular. Existem vários sites para desapegos ou organize um bota-fora com os amigos.

  2. Livros e revistas: confesso que aumentei minha coleção de livros de Feng Shui, na última viagem…Mas sempre vale uma revisão. Algum título que você pode emprestar a algum amigo, já ajuda a fazer a energia circular. Esse exercício de revisitar a estante e avaliar o que fica, já é uma forma de ativar o que está parado.

  3. Papéis, contas e manuais: sabe aquela pilha de papéis e contas pagas, esperando para serem devidamente triadas, descartadas ou arquivadas? Jogue fora a preguiça e vamos enfrentar numa só empreitada. Assim, você passa logo essa etapa, chatinha mas necessária. (Muitas empresas de contas de consumo enviam um termo de quitação referente ao ano anterior. Portanto, basta guardar o termo por 5 anos e não o bolo todo de contas!)

  4. Objetos variados (komono): são aqueles objetos não identificados, amontoados pelos cantinhos e sem destino certo. Aproveite para descartar o que não tem utilidade e só está parado juntando poeira.

  5. Lembranças, fotos, bilhetinhos: essa parte emocional do descarte pede mais cuidado e despende mais energia. Às vezes, paralisa a gente. Por isso, está no final da fila dos descartes. Mas como tudo precisa de um lugarzinho certo para viver, tenho certeza que você vai encontrar o espaço ideal para guardar. Nem que seja apenas no seu coração (aliás, o melhor lugar para as boas lembranças).

Aproveite para planejar essa etapa, ao longo de toda a próxima semana. Assim, você faz um pouquinho por dia e, em 7 dias, dará a volta em toda a sua casa. Eu vou fazer. Me acompanhe no stories do Instagram (@verargsousa) e vamos fazer juntos. Coragem!

Nos vemos na próxima sexta.

Bj Bj

Fique de olho nos próximos capítulos, todas as sextas-feiras, de setembro:

1. Bora “destralhar"

2. Lava, lava, lava

3. Dança das cadeiras

4. Alquimia do ar e da vida

Primavera: revivendo a Roda da Vida

Feng Shui Vera Sousa.jpg

Tive um mês de junho mágico, esse ano: férias e muito aprendizado. Conheci novas pessoas, novos lugares e voltei com tantas ideias na cabeça, que foi difícil organizá-las. Em primeiro lugar, atendi aos meus clientes, entre bençãos e consultas. E assim, o blog foi ficando em segundo lugar, esquecidinho e sem tempo para alimentá-lo de novos conteúdos.

Mas a chegada da Primavera, tem o poder de fazer a Roda da Vida girar. Para começar o giro, daqui até o final do mês de setembro, vou compartilhar com vocês algumas dicas para receber a nova estação e aproveitar toda a energia de renovação, para quem vive, como eu, no Hemisfério Sul. 

Feng Shui e Organização andam de mãos dadas, pois só é possível sentir os efeitos ou aplicar técnicas de Feng Shui, em um ambiente que foi previamente limpo e organizado.

Na sequencia que preparei para compartilhar com vocês, vamos começar com uma agenda de limpeza física, reorganizacao e ao final, ensinarei uma técnica para limpar energeticamente sua casa.

Sempre às sextas-feiras, uma nova postagem para que você tenha tempo de implementar, durante o final de semana. Vamos arregaçar as mangas e abrir espaço para o novo entrar, sefazfavoire!!

Até sexta!!

Bj Bj

Fique de olho nos próximos capítulos, todas as sextas-feiras, de setembro:

1. Bora “destralhar"

2. Lava, lava, lava

3. Dança das cadeiras

4. Alquimia do ar e da vida

Especial Seminário Internacional de Feng Shui: o poder da realização.

Chegamos ao final dessa jornada onde vivemos muitas aventuras juntos. Nesses 9 dias de intensas atividades, giramos a Roda da Vida mais alguns graus e chegamos à Realizacão.

Dia 9 - Li,  Realização

Essa área do Ba Guá refere-se ao Sucesso ou Realização. Tanto o trigrama como o elemento são o fogo. O brilho, a luz, a iluminação são referências desse Guá.

Quem me acompanhou, ao longo dessa trajetória, percebeu que todos os oito aspectos fundamentais da vida são interdependentes e se relacionam. E assim, fazendo escolhas conscientes e com intenção, temos a chance de mudar a nossa Realização e alinhá-la com a nossa Missão. Quanto mais nos conhecemos, melhor realizamos os nossos dons e nos sentimos completos e preenchidos de energia vital. 

Escolhemos a região dos Descobrimentos, em Lisboa, para simbolizar essa área do Ba Guá. Da Torre de Belém, partiam as Caravelas para conquistar o mundo e realizar a missão a que se propuseram os portugueses.

Escolhemos a região dos Descobrimentos, em Lisboa, para simbolizar essa área do Ba Guá. Da Torre de Belém, partiam as Caravelas para conquistar o mundo e realizar a missão a que se propuseram os portugueses.

O lindissimo Mosteiro dos Jerônimos, uma pérola do estilo Manuelino, tem em sua arquitetura símbolos das navegações, como: cordas, esferas armilares, rosa dos ventos e tantos outros ícones náuticos.

O lindissimo Mosteiro dos Jerônimos, uma pérola do estilo Manuelino, tem em sua arquitetura símbolos das navegações, como: cordas, esferas armilares, rosa dos ventos e tantos outros ícones náuticos.

Vista do interior da Catedral que mantém o estilo Manuelino misturado  ao Barroco.

Vista do interior da Catedral que mantém o estilo Manuelino misturado  ao Barroco.

Mais um Ba Guá suspenso no teto da Catedral.

Mais um Ba Guá suspenso no teto da Catedral.

E teve Pastel de Belém, porque afinal estamos em Lisboa!!!! E a fábrica dos pastéis mais gostosos e tradicionais fica logo ao lado do Mosteiro.

E teve Pastel de Belém, porque afinal estamos em Lisboa!!!! E a fábrica dos pastéis mais gostosos e tradicionais fica logo ao lado do Mosteiro.

O dia de encerramento não poderia ter sido em data mais auspiciosa: na Festa de Santo Antonio, padroeiro de Lisboa. Que venham mais encontros como esse, com pessoas especiais, em um lugar cheio de significado.

Imagem de Santo Antonio de Lisboa, dentro da Catedral dos Jerônimos.

Imagem de Santo Antonio de Lisboa, dentro da Catedral dos Jerônimos.

E essa era a nossa turma. Aqui, ao final de mais uma das aulas, no Palácio de Monserrate, Sintra.

E essa era a nossa turma. Aqui, ao final de mais uma das aulas, no Palácio de Monserrate, Sintra.

Agradeço a cada um, pelo carinho, companheirismo e aprendizado. Ao time que produziu o Seminário, um parabéns gigante. À Escola Nacional de Feng Shui de Lisboa, aos professores todos, meu muito obrigada. Aos nossos guias João e Sérgio. E para o querido Solano bençãos e mais bençãos, que você continue inspirando o mundo com beleza e significado.

Bj Bj e até a próxima!

Segue o link para os outros capítulos desse diário de bordo, feito com muito carinho:

Especial Seminario internacional de Feng Shui - Vamos começar pelo começo

DIA 1 - Kan, Destino/Missão de Vida - A Bela Sintra

DIA 2 - Kun, Relacionamentos - O que a natureza ensina

DIA 3 - Chên, Ancestralidade/Família - A vila das Rainhas, Óbidos

DIA 4 - Sun, Expansão - Pé de vento

DIA 5 - Centro - Sentimento é a chave

Dia 6 - Ch’ien, Amigos/Ajuda do Céu - O Criativo

DIA 7 - Tui, Criatividade/Futuro - O futuro encontra o passado

DIA 8 - Kên, Autoconhecimento - A escolha faz o caminho

DIA 9 - Li,  Realização - O poder da realização

Especial Seminário Internacional de Feng Shui: a escolha faz o caminho

Esse foi o dia de subir a montanha do autoconhecimento e, nessa viagem, fomos pelos jardins da Quinta da Regaleira, um dos lugares mais deslumbrantes e misteriosos de Sintra.

Dia 8 - Kên, Autoconhecimento

Feng Shui Vera Sousa.jpg

No meu caso, essa viagem começou ainda no Brasil, quando o Solano me convidou a colaborar com a leitura dos jardins da Regaleira, pelo Feng Shui Contemporâneo. Esse foi o método que mais estudei e apliquei em minhas consultas, além de ter sido aluna direta do Prof. Lin Yun, fundador dessa Escola. Mas fazer essa leitura, junto com o mestre Carlos Solano foi um desafio e uma honra.

A torre da Regaleira, a "montanha" mais alta, envolta pelo jardim.

A torre da Regaleira, a "montanha" mais alta, envolta pelo jardim.

O dia estava nublado, mas a temperatura amena foi ideal para percorrer o jardim externo.

O dia estava nublado, mas a temperatura amena foi ideal para percorrer o jardim externo.

A ideia não é descrever todo o estudo que fizemos, mas chamar atenção para alguns pontos que justificam a escolha desse lugar para experienciar essa área de estudo do Ba Guá. O trigrama relacionado ao Autoconhecimento, representado pelo símbolo da Montanha e do elemento Terra. 

Ao caminhar pelos jardins da Quinta, o visitante faz uma "viagem" que é associada a uma demanda espiritual. Repleta de magia, natureza e simbolismos, a visita à Quinta é um mergulho em si mesmo.

Feng Shui Vera Sousa.jpg

Em vários dos monumentos e construções encontramos serpentes esculpidas ou pintadas. Elas representam a sabedoria. No caso da Regaleira, a serpente aparece na forma de caminhos sinuosos, ao longo dos jardins, e convidam a pensar sobre a união e equilíbrio entre corpo e alma, criando espaço para meditações e reflexões. 

O caminho da serpente não é visto de fora. Está envolto pela mata. Não se sabe onde esta a cabeça ou o rabo da serpente. Onde é o fim ou o começo.

O caminho da serpente não é visto de fora. Está envolto pela mata. Não se sabe onde esta a cabeça ou o rabo da serpente. Onde é o fim ou o começo.

Existe um caminho cifrado esperando para ser revelado. As chaves são várias e cada escolha levará a uma realização diferente.  Pode ser pelo amor, pela natureza, pela sorte. No Patamar dos deuses, cada um oferecia a oportunidade para escolher uma delas.

Vênus oferece a chave do amor

Vênus oferece a chave do amor

A deusa Fortuna lança a sorte.

A deusa Fortuna lança a sorte.

Quando Luigi Manini, arquiteto e cenógrafo, projetou a Quinta, a pedido de Carvalho Monteiro, (brasileiro, herdeiro e idealizador da Regaleira)  inspirou-se nos jardins iniciáticos que têm formas, simbolismos e objetos que provocam e promovem transformações e ritos de passagem.

Pelos jardins da Regaleira  fizemos um caminho metafórico em direção a nossa interioridade. O ponto alto foi a descida ao Poço Iniciático. Projetado 27 metros para dentro da terra, conta com 9 andares que correspondem às iniciações, segundo a Divina Comedia de Dante.

Feng Shui Vera Sousa.jpg

Percorremos o jardim passando por todas as áreas da Roda da Vida, sentindo a energia de cada etapa, através dos símbolos, formas, vegetação, elementos e sentimentos. No final, conduzi o ritual do Reforço dos Três Segredos, traduzindo para sentimentos, as intenções do grupo para cada área da vida.

IMG_2516.jpg

E na Regaleira tudo fez sentido. A Roda simbólica girou e me trouxe aqui de volta. Para realizar o sonho de juntar Portugal e Feng Shui, com um dos Mestres que mais admiro. Quem sabe essa roda não me traz de volta e de vez. Sonha que dá!

Bj Bj e até amanhã com o ultimo capitulo.

Carlos Solano, eu e João Fiandeiro, nosso guia historiador.

Carlos Solano, eu e João Fiandeiro, nosso guia historiador.

Segue o link para os outros capítulos desse diário de bordo, feito com muito carinho:

Especial Seminario internacional de Feng Shui - Vamos começar pelo começo

DIA 1 - Kan, Destino/Missão de Vida - A Bela Sintra

DIA 2 - Kun, Relacionamentos - O que a natureza ensina

DIA 3 - Chên, Ancestralidade/Família - A vila das Rainhas, Óbidos

DIA 4 - Sun, Expansão - Pé de vento

DIA 5 - Centro - Sentimento é a chave

Dia 6 - Ch’ien, Amigos/Ajuda do Céu - O Criativo

DIA 7 - Tui, Criatividade/Futuro - O futuro encontra o passado

DIA 8 - Kên, Autoconhecimento - A escolha faz o caminho

DIA 9 - Li,  Realização - O poder da realização

Especial Seminário Internacional de Feng Shui: o futuro encontra o passado

Para o Budismo, estamos presos numa Roda que se repete em vários níveis, ao longo da vida. Cada vez que a Roda gira, temos a oportunidade de evoluir e viver essa impermanência com harmonia e consciência.

Dia 7 - Tui, Criatividade/Futuro

O dia foi dedicado à area da Criatividade, da criança, do futuro. Para vivenciar essa energia, escolhemos voltar ao passado para olhar o futuro. Visitamos o Cromeleque dos Almendres, monumento megalítico, com 12 mil anos, na região de Évora.

51 emprestando 12 mil anos de sabedoria.

51 emprestando 12 mil anos de sabedoria.

Constituído por uma centena de meníres, esse monumento pré-histórico está distribuido pelo terreno em forma de elipse, ao longo de um eixo orientado a Leste-Oeste.

Constituído por uma centena de meníres, esse monumento pré-histórico está distribuido pelo terreno em forma de elipse, ao longo de um eixo orientado a Leste-Oeste.

Ilustração do monumento, com as figuras pré-historicas gravadas nas pedras.

Ilustração do monumento, com as figuras pré-historicas gravadas nas pedras.

A mesma relação Leste-Oeste se repete entre as áreas da Criatividade e a Família, no Ba Guá. Ou seja, olhar o passado, nossa ancestralidade, pode nos ensinar muito sobre nosso futuro e o que queremos construir. 

Fizemos uma roda humana, bem no centro do monumento e lançamos nossas melhores intenções para o grupo, para o país que nos recebe e para o mundo.

Menir com inscrição pré-histórica

Menir com inscrição pré-histórica

A energia do futuro é de alegria. Essas florzinhas de camomila, preenchiam o ar com seu perfume. 

A energia do futuro é de alegria. Essas florzinhas de camomila, preenchiam o ar com seu perfume. 

Seguimos para o centro historico de Évora e tivemos a oportunidade de conhecer um patrimônio imaterial da humanidade da UNESCO.

Grupo Musical Amigos do Guadiana, alegrou nosso almoço, com o cante alentejano.

Grupo Musical Amigos do Guadiana, alegrou nosso almoço, com o cante alentejano.

O dia era do Tui, trigrama do Lago, que na Roda da Vida, simboliza a celebração da colheita com festas e música.

Nesse exercício de olhar para o passado e projetar o futuro, visitamos outro monumento icônico e polêmico da cidade de Évora: a Capela dos Ossos.

Nao fotografei o interior da capela, em respeito aos ossos que lá estão.

Nao fotografei o interior da capela, em respeito aos ossos que lá estão.

Com paredes forradas de ossos e crânios, extraídos dos cemitérios antigos da cidade, a Capela dos Ossos conversa com quem atravessa a soleira com a seguinte frase franciscana: "Nós ossos que aqui estamos, pelos vossos esperamos". Mais uma vez um símbolo da Roda da Vida, nosso objeto de estudo desse Seminário, relembra a impermanência da vida e a importância do que fazemos em cada dia desse caminhar.

O sol vai a lua vem
A água corre sem parar
O vento sopra a chuva molha
Para de novo o sol secar

Indo indo indo além
Além do além Bodhi Swaha

O sol a lua vem
Preste atenção não vai parar
As nuvens formam e se transformam
e o céu não sai do seu lugar

O mundo gira a vida flui
impermanência a ensinar

(Trecho de um mantra budista sobre a impermanência da vida)

Bj Bj e até a proxima

Segue o link para os outros capítulos desse diário de bordo, feito com muito carinho:

Especial Seminario internacional de Feng Shui - Vamos começar pelo começo

DIA 1 - Kan, Destino/Missão de Vida - A Bela Sintra

DIA 2 - Kun, Relacionamentos - O que a natureza ensina

DIA 3 - Chên, Ancestralidade/Família - A vila das Rainhas, Óbidos

DIA 4 - Sun, Expansão - Pé de vento

DIA 5 - Centro - Sentimento é a chave

Dia 6 - Ch’ien, Amigos/Ajuda do Céu - O Criativo

DIA 7 - Tui, Criatividade/Futuro - O futuro encontra o passado

DIA 8 - Kên, Autoconhecimento - A escolha faz o caminho

DIA 9 - Li,  Realização - O poder da realização